A cultura do maracujá

Spread the love

 

O MARACUJÁ É UM FRUTO MUITO PROCURADO E APRECIADO EM TODO O MUNDO, natural da região tropical da América, que obteve o nome de fruto da paixão (em inglês passion fruit) por missionários cristãos durante os descobrimentos associarem a sua flor ao crucifixo de Cristo. As variedades de maracujá com maior importância comercial são o maracujá roxo e o maracujá amarelo, e uma das diferenças entre estas variedade encontra-se na floração.

 

Figura: Maracujá roxo

 

Figura: Maracujá amarelo

 

As flores do maracujá têm entre 5 e 7,5 cm de diâmetro. Contêm 5 pétalas brancas, 5 sépalas e, na base roxa, tem 5 estames, 1 ovário e um estilete ramificado.

 

Figura: Flor do maracujá

 

Como ocorre a floração no maracujá?

As flores apenas ficam abertas durante um dia e têm de ser fecundadas para produzir fruto. Durante a manhã, os estiletes estão eretos, afastando o estigma das anteras e impedindo os insetos que visitam a flor toquem no estigma, favorecendo a polinização cruzada. Pelo meio dia, os estiletes dobram e ficam mais próximos das anteras, favorecendo a autofecundação. A variedade roxa é capaz de se autofecundar, enquanto a variedade amarela apenas fecunda com pólen de outras flores. Contudo, a polinização em ambas as variedades é realizada por animais ou manualmente.

 

Figura: Flor do maracujá com estiletes caídos

 

Polinização manual

A polinização manual é um processo muito trabalhoso e dispendioso que pode aumentar bastante o valor do fruto, sendo necessário 3 a 5 pessoas por dia para cada hectare durante cerca de 90 dias de floração, mas permite duplicar a produção de maracujá, com frutos significativamente maiores.

 

Figura: Polinização manual
(fonte: https://i.ytimg.com/vi/ra3abGNjQAk/maxresdefault.jpg)

 

Polinização natural

A polinização natural requer insetos de grande porte, sendo, por vezes, feita por beija-flores no Brasil. Os insetos mais utilizados são as abelhas carpinteiras e os zangões, devido ao seu tamanho são capazes de uma polinização eficiente. Em consequência do seu tamanho, a abelha doméstica não é capaz de colher o néctar, portanto quando visita a flor colhe todo o pólen, deixando a flor isenta do mesmo, atrapalhando a polinização.

 

Figura: Polinização por bombas
(fonte: Ish-Am, Gad. (2009). “Directed honeybees”: A preliminary investigation of an innovative solution for passionfruit pollination in Israel. Israel Journal of Plant Sciences – ISRAEL J PLANT SCI)

 

Todas estas características torna o maracujá uma cultura dispendiosa, que requer elevado cuidado na produção e à qual se associa elevados custos de mão de obra, refletindo-se assim no seu valor de mercado.

 

Para todos os interessados nesta cultura, a AgroB Business School EV lançou um novo curso sobre a Cultura do Maracujá, com a formadora Eng. Sandra Ferreira, uma das responsáveis da NominalTropical Lda., empresa produtora de maracujá. A primeira edição deste curso tem início já no próximo dia 24 de maio e as vagas são limitadas!

 

Cultura do Maracujá

 

Autor do artigo:
Pedro Macedo (Técnico e investigador agrónomo)