Microbioma do solo: um novo mundo por descobrir

Spread the love

 

OS MICRORGANISMOS, APESAR DE NEM SEMPRE ESTAREM PRESENTES NO RACIOCINO DIÁRIO QUE CADA UM TEM NO DIA-A-DIA, ESTÃO PRESENTES.
E onde? Em todo o lado, inclusive no solo!

Consideram-se os microrganismos, benéficos ou não, que existem no solo os constituintes do microbioma – seres que se alimentam, reproduzem-se e vivem no solo. Aqui estão incluídos fungos, bactérias, algas, nemátodos e até ácaros, formando uma biodiversidade de milhares de seres invisíveis ao olho nu.

Muitas vezes, o microbioma do solo é associado a agentes patogénicos, por exemplo as doenças de solo que atacam a raiz.

 

Figura: Impacto de nemátodos presentes no solo na produção de cenoura

 

No entanto, hoje sabe-se que dos constituintes do microbioma conhecido ao Homem, apenas cerca de 1% é prejudicial à atividade agrícola, sendo a sua presença notada pelo agricultor quando os desequilíbrios de solos mais pobres impedem a diversidade de organismos que permitiriam a existência de predadores naturais dos patogénicos.

Ultimamente, o reconhecimento do microbioma tem vindo a aumentar, tornando-se imperativo para o sucesso de novas plantações: um dos exemplos mais comuns será a presença das micorrizas, que funcionam como um alongamento da raiz através de relações simbióticas com as plantas, permitindo uma maior absorção de água e nutrientes em troca de suporte e espaço. Esta simbiose permite diminuir o stress provocado pela transplantação, levando a que a planta tenha uma maior probabilidade de sucesso e desenvolvimento no pós-plantação.

 

Figura: Um solo rico em micorrizas terá mais atividade do que um solo mais pobre

 

Apesar do produtor começar a perceber a importância da presença destes seres, há um conjunto de questões problemáticas que se mantém e que podem levar a uma perda significativa do microbioma. Solos cuja atividade agrícola excessiva rica em produtos fitofármacos aplicados no solo, muito baixos em matéria orgânica e secos podem tornar-se zonas áridas para o desenvolvimento de microbioma, acabando este por ser perdido.

A procura pela diminuição de produtos sintéticos e substituição de produtos mais respeitáveis ao ambiente levou a que hoje seja possível adquirir biofertilizantes, produtos baseados no enriquecimento do microbioma do solo com bactérias e fungos com capacidade de fixar ou desbloquear nutrientes essenciais ao desenvolvimento das plantas.

 

Figura: Os microrganismos estão presentes em solos equilibrados, protegidos e com matéria orgânica – uma das formas de manter estas populações é a colocação de enrelvamento na entre linha

 

O que conhecemos hoje é apenas uma pequena percentagem da realidade – prevê-se que ainda nos falte descobrir cerca de 98% destes seres, tornando um solo um mundo completamente novo à espera de ser descoberto.

Para nos introduzir ao tema e partilhar o que é conhecido atualmente, contamos com a formação do Eng. Alexandre Bazenga no novo curso Microbioma do Solo, Práticas Sustentáveis e Produtividade.

Aproveita também o webinário gratuito organizado pela AgroB Business School EV sobre este tema!

 

Autora do artigo:
Ana Filipa Ferreira (Técnica e investigadora agrónoma)