Desmistificar o abacateiro

Spread the love

 

A AGRICULTURA É UMA DAS ATIVIDADES ECONÓMICAS COM MAIS IMPACTO NA SOCIEDADE, AMBIENTE E PAISAGEM. Existe já um conhecimento amplo sobre culturas tradicionais, como o olival, a vinha, o milho e os cereais. 

No entanto, com o passar dos anos, surge a necessidade de uma diversificação de culturas cada vez maior que, por vezes, suscitam dúvidas e conclusões que nem sempre correspondem à realidade.

Este tipo de observações podem denegrir a imagem de uma ou várias culturas, como é o caso do abacateiro, cujas opiniões menos informadas levam muitas vezes à conclusão que é uma cultura tropical, mal-adaptada e esgotante a nível de recursos, sem qualquer tipo de controlo por parte de quem o produz.

Por este motivo é importante procurar e perceber a opinião de especialistas sobre o tema, como é o caso do Professor Doutor Amílcar Duarte, formador da AgroB no curso Cultura do Abacate que deu o seu parecer no programa “Faça chuva faça sol” da RTP1, onde refere que a cultura do abacate não é uma cultura nova em Portugal, estando presente já há alguns séculos, mas que tem vindo a ganhar interesse comercial para produção em modo intensivo. O abacateiro é uma cultura subtropical que encontra condições ideais no Algarve devido à temperatura e disponibilidade dos recursos hídricos que são controlados com base nas necessidades da cultura com recurso a sondas e métodos de rega controlada.

Veja a reportagem completa em baixo.

 

 

A agricultura em Portugal é privilegiada pelas condições edafoclimáticas únicas que variam consoante a região do país. O trabalho dos produtores aliados a especialistas e técnicos permitem uma produção mais controlada em termos de recursos e fitossanidade, segura e saborosa, sendo qualitativamente mais interessante, neste caso, do que os abacates da América do Sul, país de origem.