Novidade // Inscrições abertas

Agroecologia: Uma Ciência Agrícola Sustentável

Sobre esta edição

Estado: Novidade // Inscrições abertas
Data início:
Data fim:
Duração: 50 horas
Modalidade: E-Learning
Local: Plataforma E-learning
Preço: 175.00€

Sobre o curso

Aprenda técnicas mais atentas ao ambiente, garantindo a produção sustentável de alimentos e produtos de qualidade biológica superior.

Apresentação

A Agroecologia aborda a realidade agrícola com preocupação ambiental e sua sustentabilidade, integrando-a entre conhecimentos de diversas ciências e a sabedoria popular. Com a noção de que a atividade agrícola para a produção dos diferentes alimentos e outros produtos é, de entre as atividades praticadas pelo ser humano, a que mais impacta e degrada tanto o solo como o ambiente, cabe aos produtores e futuros produtores adotar técnicas mais atentas ao ambiente, garantindo a produção sustentável de alimentos e produtos de qualidade biológica superior.
Pretende-se abeirar a Agroecologia como ciência que estabelece as bases para a construção de estilos de agriculturas sustentáveis.

Vantagens

Partilhe experiências numa rede de networking com especialistas e empresários da área agrícola; Adquira conhecimentos de forma flexível, sem necessidade de deslocações e com conteúdos disponíveis 24h/dia; Experiencie uma plataforma de formação de simples utilização; Aceda a aulas em videoconferência através de qualquer dispositivo equipado com placa de som, auscultadores, microfone e ligação à Internet; Esclareça as suas dúvidas através de um sistema de tutoria ativa (de segunda a sexta, das 9h00 às 18h00).

Destinatários

O curso de Agroecologia: uma Ciência Agrícola Sustentável destina-se a adultos com idade igual ou superior a 18 anos e com interesse nesta temática.

Conteúdo

1. A agroecologia
· Conceito e definição de agroecologia e ciências relacionadas;
· Diferenças entre agricultura biológica, biodinâmica e agroecologia;
· Homem como agente modificador de ecossistemas e as tendências;
· Eminências da consciencialização mundial.

2. Diferentes tipos de solo
· Tipos de solos;
· Como revitalizar o solo: técnicas e metodologias populares;
· Manutenção e melhoramento.

3. Relação entre solo, planta clima e ambiente
· Conceitos de ecologia, população, habitat, comunidade biótica e ecossistemas;
· O equilíbrio ambiental e os ecossistemas agrícolas sustentáveis.

4. Dimensionamento de sistemas agro-ecológicos
· O ambiente agro-ecológico, como espaço físico onde se criam condições favoráveis para o crescimento das plantas;
· Espaços necessários, dimensionamentos, metodologias e técnicas;
· Manuais de Boas Práticas;
· Registos, a sua relevância e exemplos.

5. Tratamentos orgânicos necessários
· Bio-pesticidas;
· Técnicas populares.

6. Alimentos de futuro em concordância com as alterações climáticas
· Valor nutricional, valor de fibras e de teor de saciação, tendências de consumo e importância do fomento da diversidade alimentar;
· Exemplos de culturas:
· Batata doce;
·.Mandioca;
· Alcachofra;
· Especiarias (açafrão, baunilha);
· Chás;
· Ervas aromáticas;
· Frutos (maracujá, dragon fruit, anona);
· Árvores (moringa, leguminosas, neems);
· Plantas (samambaia, gengibre) e outros vegetais interessantes;
· Análise de oferta, maiores consumos populares, de nutrientes e vitaminas em cápsula (sintetizados) e de onde provêm.

Objectivos

Identificar os princípios agroecológicos;
Promover o melhoramento do solo e reconhecer o solo como fonte de nutrientes para o futuro alimento;
Reconhecer a importância do equilíbrio saudável entre solo/planta/clima e ambiente para a produção de alimentos e produtos;
Converter e adequar espaços agrícolas convencionais em sistemas que sigam os princípios agroecológicos;
Utilizar a sabedoria popular para combater pragas de certos alimentos e produtos, biopesticidas;
Debater os “alimentos de futuro”, em concordância com as alterações climáticas a que estamos sujeitos.

Formador

ENG.ª LUÍSA GONÇALO

Licenciada em Engenharia Agronómica e pós-graduada em Qualidade e Segurança Alimentar pelo IPB. É, desde 2017, consultora em empresas de produtos alimentares e não-alimentares e consultora comercial em sourcing e procurement, com foco geográfico na Ásia. Em 2015, foi responsável por projetos agrícolas para países da CPLP. Em 2014-15, foi assessora do Ministério da Educação em Timor-Leste. Em 2012-13, foi chefe do Dep. de Direitos Económicos e Sociais em Timor-Leste, responsável por conduzir, monitorizar e avaliar diferentes atividades relacionadas com agricultura, horticultura, apoio a Cooperativas e pesca. É formadora internacional e colaborou no desenho de manuais de boas práticas agrícolas para alimentos hortícolas, com formação prática no terreno.